Início | Notícias | Sobre o Site | Comentários | Contactos | Mapa do Site

 

 

 

 

 

 

 

Alimentação

 

Uma alimentação cuidada e regular é essencial para a saúde e bem-estar do ser humano. Em pessoas idosas e com demência uma alimentação equilibrada terá considerações ainda mais especiais e importantes. Por um lado porque a pessoa já se encontra num estado debilitado e não pode ser sujeita a estados de desnutrição ou desidratação, e por outro porque a tarefa em si pode se tornar um desafio para a pessoa que sofre da demência, que pode se esquecer de comer, pensar que já comeu, ou ter dificuldade em lidar com os utensílios de cozinha.

Alterações no comportamento alimentar podem advir de uma perda de interesse em comida, dificuldade em efectuar os movimentos necessários para comer, e uma desapropriação do comportamento à mesa. Alguns doentes terão vontade de comer a toda a hora, enquanto outros terão de ser encorajados a manter uma boa dieta.

 

Nos doentes

Causas subjacentes a uma perda de interesse na comida nos doentes com DA:

 

Causas que podem estar a levar a um desejo exagerado de comer:

 

Causas de uma desapropriação do comportamento à mesa:

O cuidador

Mais uma vez, o cuidador terá um papel preponderante em garantir que o doente se alimenta de forma adequada, e no acompanhamento e simplificação de tal tarefa.

 

Tornar as refeições mais simples...

 

Minimizar potenciais problemas...

Dar predilecção à independência do doente...

Manobra de Heimlich

A asfixia é uma causa comum de morte após engasgo com alimentos. Quando engolido de forma inadequada o alimento pode bloquear as vias respiratórias e a passagem de ar para os pulmões, ao ficar entalado na garganta. A manobra de Heimlich pode salvar vidas nestas situações, provocando uma “tosse artificial” que leva à libertação do alimento (ou outro objecto) da traqueia da pessoa. Esta manobra deve ser aplicada imediatamente, pois não há tempo para esperar pelas equipas de socorro. Contudo deve-se sempre mandar alguém ligar para os serviços de emergência médica enquanto presta socorro imediato.

1. Abrace a pessoa pela cintura firmando os punhos entre as costelas e o abdómen.

2. Puxe a pessoa para cima e na sua direcção, rápida e vigorosamente quantas vezes forem necessárias. Alternativamente pode aplicar batidas firmes nas costas.

3. Caso a pessoa já não consiga permanecer de pé, a manobra pode ser aplicada com esta sentada ou deitada.